Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Só a Mim…

Rain, rain,

Go away

Please come back

Another day!

  

Consegui chegar ao colégio sequinha. Nem uma gotinha de chuva me regou. Ia sendo levada pelo vento, mas isso é outra história. E vá lá que não me caiu “nada” em cima!

 

Dei as minhas aulinhas como normalmente e, à hora de sair, começa a cair uma carga de água descomunal! Lindo!

Só vejo o colégio a começar a inundar. Ainda por cima, as ruas são descidas que vão em direcção ao colégio, ou seja, a água vai toda dar uma voltinha.

Ainda tive para ir buscar um kayake para aproveitar a corrente mas depois pensei “eh… ainda tenho de me equipar toda e não me apetece…” E além disso, não era dia de prática de desportos.

 

Fui a subir a rua tipo salta-pocinhas mas neste caso era mais salta riozinhos… Argh! Fiquei com as botas e os pés encharcados.

Consegui chegar à paragem da camioneta sem dar um espalhanço monumental, apesar da patinagem artística que fiz.

Fiquei ali, sugadita à espera da camioneta – que perdi – a fazer figas para que viesse rapidamente. Então não é que um $&%#€@ de um gajo fez o “obséquio” de nos dar uma banhoca?! Se eu soubesse tinha levado o champô e o gel. Sempre poupava uns litros de água. Temos de ser amigos do ambiente!

 

Finalmente a minha camioneta chegou. Entrei e sentei-me. Devido à chuva, havia montes de trânsito, logo, estivemos algum tempo em pára-arranca. Foi aqui que me apercebi…

 

Atrás de mim vinha sentada uma mulher que também costuma apanhar a camioneta comigo bastantes vezes. Eu já tinha percebido que ela falava sozinha… só não percebia que era tanto! É uma mulher nova, cerca de quarenta e poucos anos, muito bem arranjada. E fala pelos cotovelos!!!

Aquela alminha esteve sempre a falar. Estive a gramar aquele “rezar” de palavras alguma meia hora. Tão depressa falava do trânsito como falava da vida dela, como dizia “quem cá ficar que se aguente!”. E mais… vinham umas mulheres na conversa que pareciam ser transmontanas e não é que a tal mulher desata a fazer comentários sobre elas?! O que vale é que ela fala baixinho, mas se estivesse sentada atrás das outras, desconfio que saía da camioneta com um olho à belenenses…

 

A determinada altura, a mulher chega ao seu local de destino e sai. Entram mais pessoas e, novamente, outra mulher senta-se atrás de mim. Epá… duas vezes seguidas, não!!! Então não é que esta também falava sozinha?! Será que o mal era do banco? E se eu me tivesse sentado lá, também teria desatado a falar sozinha?! Hummm…